Conheça mais - Cidmil

Antes do nosso ano terminar, pude ter essa conversa mais que especial com o nosso querido “Cid”, bate-papo que rolaria até o amanhecer por sinal (risos!). Logo no início, o questionei sobre o “Cidmil”, se é apelido ou sobrenome: “Apelido, cara! Coisa de faculdade!”. Hoje em dia, virou nome (risos!).

 

No encontro também conversamos sobre o seu começo de carreira no mundo cultural, e, pelo menos para a minha surpresa, me deparei com uma figura quase que avessa deste pacato cidadão: “Eu era rebelde na minha vida acadêmica, e sempre fui apaixonado por eventos de mobilização cultural!”. Quando ele comenta sobre eventos que realizou, realmente são acontecimentos de grande porte, a maioria na universidade que era estudante, UFRJ.

 

Rotina que começou a ser quebrada a partir de 1992 quando foi casado.  Porém, creia você em destino ou não, em 1997, após se encontrar com um amigo que todos diziam está morto, ele especializa-se em uma técnica que, mais tarde, o traria para o mundo tricolor, a lei de incentivo a cultura, a conhecida Lei Rouanet, técnica que o levou, em 2000, trabalhar em alguns projetos do gênio João: “Trabalhei em alguns projetos do Joãozinho Trinta antes de vir para a Grande Rio, só vim pra cá lá pelos meiados de Setembro, ficando justamente nesta área de elaboração e execução de projetos, ainda no antigo barracão.”, que honra, heim!

 

Em 2001, a nossa mãe tricolor apresentava ao mundo o espetáculo “Gentileza ‘X’ - O Profeta do Fogo”, estreia do Joãozinho Trinta na escola e, também do Cidmil no carnaval: “Foi bacana! Eu tinha desfilado uma vez, mas estava de zoeira. O desfile de 2001 gerou outros projetos também além do desfile em si, foi muito bacana de se trabalhar!”

 

Daí pra frente, ele não parou mais, realizando pontos da escola que te deixa muito orgulhoso, como ter como ter participado da criação da escola mirim “Pimpolhos do Grande Rio” primeiro com Paulo Machado e, posteriormente, com Camila Soares, atual presidente da instituição. Entre outros feitos grandiosos da escola.

 

Claro, teve aquela perguntinha que sempre faço do ano preferido na Agremiação: “Cara, foi um ano que eu não estava na escola, 2006, ano da Amazonas!”, fato que tem a ver com as suas origens e relações acadêmicas que teve anos anteriores.

 

Já sobre o enredo de 2017, mostra-se muito confiante com que a escola irá apresentar na avenida com o enredo: “Ivete do rio ao Rio!”.

 

Muito obrigado pela conversa e a ótima tarde, querido amigo!

 

11146342_936551859697388_2056917756181619923_n.jpg

Samba enredo 2018 GRANDE RIO