A memória da Grande Rio

Daílton e Nascimento contam momentos inesquecíveis sobre a história da tricolor de Caxias

A Acadêmicos do Grande Rio é uma escola relativamente nova, neste ano de 2013, a tricolor mais querida de Duque de Caxias vai completar 25 anos, no dia 22 de setembro. Em ritmo de comemoração deste um quarto de século de vida, o G Rio News trás neste edição um bate papo muito agradável e descontraído que tivemos com estes dois ícones do samba dentro da Grande Rio, o presidente da Velha Guarda Daílton e o vice presidente Nascimento. Estas duas importantes figuras do carnaval carioca trazem consigo uma joia com preço inestimável, a ‘memória da Grande Rio’. Detalhes da fundação da escola, histórias com os com pessoas que contribuíram para a existência da Grande Rio e muitas lembranças são os assuntos principais desta agradável conversa que tivemos com estas duas pessoas que dão aula de samba e de vida.

Daílton, como foi seu início na Grande Rio?
No primeiro ano eu sai na diretoria, eu trabalhava no segundo carro da escola. No segundo ano vim na diretoria novamente, após isso eu era diretor social junto com Carlos Alberto, e depois fui convidado pelo Baianinho para assumir a presidência da Velha Guarda e o Nascimento ficou como vice presidente. O nascimento trabalha mais que eu, eu sou o presidente porque sou mais velho (risos).

A Grande Rio é uma escola nova, mas ela tem uma memória sim, Caxias sempre teve tradição no samba, a Grande Rio nos tornou mais conhecidos.

Nascimento, seu nome tem alguma semelhança ao fato de você ser parecido com o cantor Milton Nascimento?
Meu nome é Carlos Alberto Nascimento e muitos brincam comigo me assemelhando ao Milton Nascimento.

Como pode uma escola tão nova como a Grande Rio ter uma velha guarda?
Nós somos oriundos de outras escolas, quando eu tinha 15 anos de idade, em Caxias tinham algumas escolas de samba, não era apenas uma, como Capricho do centenário, união do centenário, Cartolinha de Caxias, unidos da vila são Luiz, Baianinha Brasileira e outras. Nós somos oriundos dessas escolas antigas de Duque de Caxias. Apesar da Grande Rio ser uma escola nova, Caxias tem sim muita tradição no samba.

Sempre tem aquela história de falar que ‘no tempo de fulano não era assim’ e eu sei que futuramente nossos nomes poderão ser lembrados sim. Se daqui a alguns anos minhas filhas continuarem na escola e eu não estiver mais, vai ser gratificante principalmente para ela e para minha família saberem o quanto nós fomos importantes e significantes para história desta bela agremiação que é a Grande Rio.

Como foi de fato a fundação da Grande Rio?
Em Caxias houve uma fusão de algumas escolas e fizeram o Grêmio Recreativo Escola de Samba Grande Rio, cujo as cores eram azul, vermelha e Branca. O Grêmio Recreativo ES Grande Rio saiu pela última vez em 1987 ou 88. Esta nossa Grande Rio, a Acadêmicos do Grande Rio, Vermelha, verde e branca, começou através da fusão entre o antigo Grêmio recreativo Grande Rio com alguns blocos de Caxias, como o bloco do China, Sai como pode, unidos do parque Felicidade, Portelinha e muitos outros. Milton Perácio com a família Soares concretizaram esta fusão e hoje Caxias têm uma das maiores escolas de samba do planeta.

Existe um diretor da escola chamado Inocêncio Barbosa que tinha uma casa de lanches, na qual o Perácio era gerente, o primeiro carnaval do Grêmio recreativo Grande Rio foi homenageando a Alcione, que por sua vez não compareceu ao desfile.

Como é a relação entre vocês que compõem a velha guarda da Grande Rio?
De vez em quando acontece uma discussão ou outra, mas nós somos uma família, exercemos nossa função com muito orgulho e satisfação. Aqui é igual a todo lugar, tem muita gente, tem todos os problemas mas também tem todos os prazeres, de uma família, de uma amizade.

Hoje existem muitos artistas que você não precisa nem convidar, eles mesmos querem.

Nascimento, o que você tem a dizer para quem ainda teima em dizer que a Grande Rio é uma escola de artistas?
Isso para mim é apenas um mito que formaram em volta do nome da Grande Rio. Você vê os ensaios de terça na quadra e é só comunidade que ensaia. A Grande Rio tem apenas cinco alas comerciais, a Grande Rio tem o único primeiro casal de mestre sala e porta bandeira que começaram na escola, eu lembro do Luis Felipe e da Verônica brincando no chão da quadra. Eram duas crianças cheias de vontades e desejos que hoje veem se realizar.

A comunidade da Grande Rio é muito forte. Em Caxias existe uma força que muitas pessoas não fazem ideia.

A memória da Grande Rio.1.jpg

Samba enredo 2018 GRANDE RIO