Glenda Koslowski, Luiz Roberto e Chico Pinheiro Visitam barracão da Grande Rio e Participam da feijoada semanal da diretoria

Em visita ao barracão da Grande Rio (antigo barracão tomado pelo fogo), na cidade do samba, bairro da Gamboa, os jornalistas Luiz Roberto, Glenda Koslowski e Chico Pinheiro participaram da feijoada de almoço, que acontece todas as quintas-feiras no terceiro andar, acompanhados do Presidente de honra da escola, Jayder Soares. Os jornalistas e apresentadores também conversaram com o carnavalesco Cahê Rodrigues por cerca de 3 horas, para coletarem informações sobre o enredo e verificar os preparativos da agremiação de Caxias para o carnaval 2011.

Os jornalistas, que fazem a cobertura do carnaval carioca do Grupo Especial, executaram seu processo de pesquisa para que possam se informar melhor sobre o tema que envolve o enredo e adquirir informações que os auxiliem na transmissão.

As escolas do grupo especial, anteriormente ao desfile, fornecem todas as informações, pertinentes a seu enredo, para a emissora responsável pela transmissão, no caso a Rede Globo. São passados os nomes das alas, dos carros, e outras informações setor por setor, nome dos destaques e etc.

Após estas informações já terem sido recebidas e organizadas pela emissora, os apresentadores, que fazem a transmissão ao vivo, visitam as escolas e conversam com os carnavalescos para que sejam passadas a eles todas as mensagens e emoções que a escola deseja transmitir ao público. Eles participam, de certa forma, do carnaval de todas as escolas antes delas irem para o sambódromo, pois com isso, os apresentadores e jornalistas conseguem entender profundamente todas as questões, curiosidades, desafios e surpresas que as escolas levarão para a Marquês de Sapucaí.

O site da Grande Rio teve a oportunidade de conversar com os jornalistas e saber um pouco mais sobre a vinda de cada um deles até o nosso barracão.

Glenda Koslowski

Qual sua expectativa e opinião para o carnaval carioca de 2011?

Mas uma vez acho que o Rio de Janeiro está conseguindo, vai conseguir se superar no carnaval . o público que vier, que for a Marquês de Sapucaí vai ver mais um espetáculo.

No sábado das campeãs, onde não tem transmissão da Globo, você aproveita pra curtir o desfile na condição de folia?

Sim, aí eu me acabo, no desfile das campeãs é quando eu desço e coloco o samba no pé e vou embora, ninguém me vê, eu subo e desço a Avenida, subo e desço.

 

Qual a diferença de cobrir eventos esportivos e de cobrir essa manifestação cultural como o carnaval do Rio?

Eu não vejo diferença, porque os dois mechem com paixão, o futebol meche muito com paixão e o carnaval, escola de samba também, então é engraçado isso, a diferença é mínima eu vejo mais semelhanças do que diferenças.

 

Mesmo sendo o terceiro ano que você faz a cobertura do carnaval carioca, ainda te bate nervosismo quando está fazendo parte deste espetáculo?

Assim como bate o nervosismo no carnavalesco quando ele recebe o enredo e começa a pesquisar e desenvolver, em mim bate o nervosismo assim que a gente recebe o comunicado de que a gente vai passar mais uma vez por este desafio. Nervosismo ta com a gente sempre, toda hora, traz responsabilidade.

Luiz Roberto

 

Esta é a primeira vez que você está visitando o barracão da Grande Rio no carnaval 2011?

Esse ano eu vim uma outra vez aqui no barracão da Grande Rio, porém não para conversar com o Cahê, mas para dar uma olhada, rever o pessoal, dar um abraço no Ciça que deu o nome a bateria por causa de uma expressão que a gente usou ano passado na transmissão, foi por isso, e agora foi realmente pra bater um papo com o carnavalesco pra entender a idéia, essa homenagem monumental que vai ser feita a Florianópolis uma das cidades mais encantadoras do Brasil.

Qual sua opinião para o carnaval que a Grande Rio está trazendo este ano, com o Enredo Y Jurerê Mirim, a encantadora ilha das Bruxas (um conto de Cascaes)?

Eu acho assim, toda vez que uma cidade é escolhida, é importante que as pessoas entendam que aqui nós temos uma grande liberdade poética do carnaval, o carnaval é uma grande apoteose, o carnaval mostra o lado bom, o lado apoteótico, e aquilo que talvez mais encantem as pessoas do lugar. No caso de Florianópolis o Cahê partiu para um caminho muito, muito legal, muito sensível, ele passa por Cascaes que é um grande historiador da história de Florianópolis e que escreveu contos magistrais, contos que encantam os moradores da ilha, aqueles que freqüentam a ilha. E além de tudo vai passar por alguns momentos marcantes da ilha, então essa liberdade do carnavalesco, eu acho, pro meu gosto de carnaval, que o Cahê acertou a mão, mas acertou a mão de forma espetacular, a cidade vai estar muito, mas muito bem homenageada na avenida, eu acho que é o espírito, é alma de Florianópolis que vai estar na avenida. Que a ilha é linda, belíssima também vai estar no desfile da Grande Rio, mas isso todo mundo sabe, então a gente vai ter um pouco deste espírito mesmo do manezinho, de quem é de Floripa, dos brasileiros que habitam neste lugar tão especial, nesta ilha da magia como eles costumam dizer.

Luiz, na sua opinião, existem mais semelhanças do que diferenças na transmissão do esporte e do carnaval?

Eu acho assim, do ponto de vista de quem vai fazer a transmissão tem muito mais semelhanças, porque como é uma competição, toda vez que você vai transmitir uma competição no rádio, televisão e etc, você tem que entender regulamento, e entender quesitos técnicos e táticos pra conseguir transmitir aquilo para o público, no carnaval é exatamente a mesma coisa, você tem que entender o regulamento, são possíveis tantas alegorias, são possíveis tantas pessoas, na comissão de frente só podem 15 pessoas aparentes, daí por diante. Aí você tem a questão técnica, a bateria, o samba! Tem a questão tática! Então existem muitas semelhanças. Nossa função é fazer a ligação de quem está assistindo ao desfile com aquilo que ele está vendo na televisão, com a liberdade poética do carnaval.

Chico Pinheiro

Chico, comente um pouco sobre o que você viu sobre a preparação da Grande Rio para o carnaval 2011.

Estou boquiaberto! É difícil falar depois de conversarmos sobre a idéia, e mais exuberante que tudo que a gente está vendo, são as alegorias que estão sendo montadas, é a imaginação do carnavalesco e a equipe dele! Impressiona! É fantástico! Quando se abre a cabeça, e de um tema surgem elementos que você não conseguiria imaginar, por exemplo, se alguém falasse de Florianópolis eu vou lembrar de algumas praias e tal, mas toda essa magia que envolve a cidade vai ser transmitida pelo Cahê, que tem em sua equipe o Lucas Pinto, ou seja, é fantástico! Porque o aprendiz de feiticeiro agora é o grande feiticeiro e está tudo junto, isso é um grande caldeirão. Podem se preparar porque na avenida isso tudo vai ferver!

A transmissão da Rede Globo do carnaval das escolas de samba do grupo especial começa no domingo, dia 06 de março, com o desfile da São Clemente e termina na segunda-feira, encerrando com o desfile da Beija-flor de Nilópolis. A Rede Globo também transmite a apuração das notas do Grupo especial na quarta-feira de cinzas.

Redação: Renan Calabri e Yuri Soares

Samba enredo 2018 GRANDE RIO